Página Inicial Notícias Sociedade e Ambiente Centro Hospitalar de Leiria aposta na Psiquiatria Comunitária e cria Unidade de Saúde Mental Comunitária

Centro Hospitalar de Leiria aposta na Psiquiatria Comunitária e cria Unidade de Saúde Mental Comunitária

Projeto PsiCom colabora com os Cuidados de Saúde Primários desde 2018

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) criou a Unidade de Saúde Mental Comunitária do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental (SPSM), na sequência das atividades já desenvolvidas em colaboração com os Cuidados Primários no âmbito do projeto Psiquiatria Comunitária – PsiCom, constituído em 2018, mas que teve o seu embrião em 2011, quando se iniciou no Centro de Saúde de Pombal a discussão mensal de casos clínicos com  a presença conjunta de profissionais do CHL e dos cuidados saúde primários. «A nova Unidade integra uma das mais prementes áreas da Saúde Mental, que é a da Psiquiatria Comunitária, e pretende desenvolver, melhorar e otimizar os cuidados prestados na área da Saúde Mental aos utentes adultos da área de influência do CHL, com especial incidência sobre a população com doença mental grave», revela Alexandra Borges, vogal do Conselho de Administração do CHL.

«O PsiCom é um programa de apoio orientado para as necessidades do doente de psiquiatria e saúde mental, ao favorecer o retorno a uma vida o mais normal possível, longe do internamento hospitalar, e “fugir” do modelo hospitalocêntrico e rumar a uma abordagem voltada para os recursos comunitários», explica Cláudio Laureano, diretor do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do CHL.

«Durante o  ano 2018 já foi possível realizar 53 consultas de intervenção em crise na comunidade de doentes graves, 114 consultas domiciliárias multidisciplinares, e consultadoria psiquiátrica com os ACES Oeste Norte e Pinhal Litoral, com a realização de reuniões todos os meses nos Centros de Saúde de Alcobaça, Pombal, Arnaldo Sampaio e Gorjão Henriques, para discussão de mais de 110 situações clinica complexas», resume o médico psiquiatra.

A equipa da Psiquiatria Comunitária do CHL é constituída por duas médicas psiquiatras, três a quatro enfermeiras, coordenadas pela enfermeira-chefe do SPSM, e uma assistente social. «Pretendemos em breve avançar com reuniões de consultadoria com os Cuidados de Saúde Primários às unidades locais da Marinha Grande, Batalha, Porto de Mós e Nazaré», indica Cláudio Laureano. «Relativamente à avaliação do projeto temos definidos vários objetivos e indicadores para avaliar o impacto do projeto, não esquecendo a apreciação dos benefícios para os utentes, para familiares e profissionais envolvidos.»

O PsiCom atua em diversas vertentes

Este programa prevê diversas áreas de intervenção, como o programa de acompanhamento por terapeuta de referência (um profissional é responsável pela gestão dos cuidados de determinado doente na comunidade, devendo promover o acesso aos serviços (psiquiátricos, clínicos, sociais), por ações de coordenação e integração da rede de saúde comunitária. As atividades são realizadas através do agendamento de cuidados clínicos a ocorrer no hospital, centro de saúde, domicílio ou em outras estruturas comunitárias e através da realização de contactos telefónicos periódicos e frequentes entre o terapeuta de referência e os doentes/família dos Cuidados de Saúde Primários.

A intervenção em crise também está contemplada. A equipa do projeto presta apoio e avaliação durante a crise, promovendo uma intervenção intensiva que previna uma maior deterioração de um episódio agudo de doença, evitando vindas ao Serviço de Urgência e internamentos, ou promovendo o acesso o mais precoce possível aos cuidados de saúde hospitalares, se necessário.

De acordo com os casos sinalizados, dinamizar-se-á o apoio multidisciplinar com uma equipa domiciliária, com a realização de consultas de enfermagem e/ou de avaliações sociais no domicílio. A realização destas consultas terá como população-alvo doentes com quadros psiquiátricos graves com algum potencial de recuperação, referenciados pelos diferentes intervenientes nesta parceria.

A consultadoria Psiquiátrica com os Cuidados de Saúde Primários fomenta a articulação entre as estruturas parceiras e evitar a utilização inadequada dos serviços de saúde, nomeadamente evitando-se episódios frequentes de urgência e encaminhamentos à consulta externa por motivos passíveis de orientação a nível comunitário. Realizar-se-ão reuniões mensais de consultoria com a deslocação de um Médico Psiquiatra e de um Enfermeiro a instalações de diferentes unidades dos ACES do Oeste Norte e do Pinhal Litoral da área de influência do CHL.

O programa inclui ainda atividades de formação contínua dos profissionais de saúde, com particular enfoque na Psiquiatria Comunitária/Prevenção/Reabilitação. Procurar-se-á estabelecer uma rede de colaboração e intercâmbio de conhecimentos e boas práticas em saúde mental e participar, co-organizar e/ou dinamizar atividades na comunidade relacionadas com temática na área da saúde mental.

O tratamento e a prevenção de perturbações mentais resultam em poupanças económicas que abrangem o setor da saúde e outros, mesmo a curto prazo. Sendo inquestionável a contribuição que a redução da doença mental e a melhoria da saúde mental representam para uma melhor saúde física e geral, estando comprovado que um melhor tratamento dos problemas da saúde mental que coexistem com doenças físicas crónicas tem um efeito amplamente positivo na adesão ao tratamento e nos resultados de saúde.

Apesar da existência de intervenções custo-efetivas para tratar e prevenir as perturbações mentais, sabe-se que apenas cerca de metade dos pacientes com perturbações mentais graves (particularmente doentes com quadros psicóticos como psicose esquizofrénica, perturbação esquizoafetiva e perturbação afetiva bipolar), e um número inferior de pessoas com doenças mentais ligeiras a moderadas têm acesso a um tratamento adequado, existindo uma cobertura significativamente menor de intervenções para prevenir perturbações mentais. Existe, assim, ainda um longo caminho a percorrer para ultrapassar a falta de tratamento de perturbações mentais, melhorar a qualidade do apoio, do tratamento e dos cuidados, e fortalecer e disseminar a prevenção da doença e a promoção da saúde. 

O 9.º Encontro de Psiquiatria de Leiria, que decorre a 17 de maio, com o tema “Psiquiatria fora de portas”, realiza-se no auditório do Teatro-Cine de Pombal. «Este ano entendemos descentralizar um pouco esta iniciativa, dinamizando o nosso encontro fora de Leiria, levando-o até Pombal», anuncia o diretor do SPSM do CHL.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Sociedade e Ambiente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Doação de mais de 1 tonelada de pescada

A Unidade de Controlo Costeiro, através do Subdestacamento de Controlo Costeiro da Nazaré,…