Página Inicial Notícias Sociedade e Ambiente Candidaturas às 7 Maravilhas Doces de Portugal® com prolongamento até 17 de março. Uma candidatura pode incluir 7 doces.

Candidaturas às 7 Maravilhas Doces de Portugal® com prolongamento até 17 de março. Uma candidatura pode incluir 7 doces.

Candidaturas às 7 Maravilhas Doces de Portugal® com prolongamento até 17 de março. Uma candidatura pode incluir 7 doces.

Devido ao elevado número de candidaturas de todo o país, que estão neste momento a ser submetidas na plataforma online, para a eleição das 7 Maravilhas Doces de Portugal®, o prazo acaba de ser prolongado até 17 de março, à meia noite. Pela primeira vez é possível incluir 7 candidatos numa só proposta de candidatura.

As categorias a concurso são: Doces de Território, Bolo de Pastelaria, Doce de Colher e Doce à Fatia, Biscoitos e Bolos Secos, Doces Festivos, Doces de Fruta e Mel e Doces de Inovação. A grande aposta deste ano é na Inovação à base de produtos endógenos, incentivando ao empreendedorismo local. A tradição, a importância económica, social e cultural dos doces são também critérios preponderantes.

A oitava edição das 7 Maravilhas em Portugal® volta a reinventar-se e este ano os candidatos são votados por cada um dos 18 distrito e duas regiões autónomas, com 20 programas de daytime em direto a realizar nos meses de julho e agosto. Haverá nesta fase 7 candidatos por distrito e regiões autónomas, num total de 140 doces candidatos, sendo que de cada programa na RTP sai um pré-finalista que passa às semifinais.

Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, órgão de deliberação constituído por 7 figuras do espaço mediático, que será responsável pela da repescagem de 8 candidatos que se irão juntar aos 20 pré-finalistas.

Os 28 pré-finalistas são divididos por sorteio pelas duas semifinais, nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal são apurados os 7 doces, aqueles que tenham mais votos contabilizados. Nesta fase os 7 elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os Doces.

A Gala Finalíssima decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre. Dos 14 finalistas apurados vão ser eleitos 7 doces pelos portugueses como 7 Maravilhas de Portugal®.

Sobre as 7 Maravilhas®

A eleição das 7 Maravilhas Doces de Portugal® é a oitava edição realizada desde 2007, com concursos que têm por tema os grandes valores da Identidade Nacional:

7 Maravilhas de Portugal (Património Histórico), em 2007

7 Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo (Património Histórico), em 2009

7 Maravilhas Naturais de Portugal, em 2010

7 Maravilhas da Gastronomia, em 2011

7 Maravilhas – Praias de Portugal, em 2012

7 Maravilhas de Portugal – Aldeias, em 2017

7 Maravilhas à Mesa, em 2018

O Conselho Científico é um órgão constituído para apoiar a Organização do Concurso na elaboração do regulamento, na verificação das candidaturas e nas tomadas de decisão, tendo o objetivo de libertar a Organização de quaisquer tomadas de posição face aos candidatos a concurso, assegurando por isso, a máxima idoneidade, independência e equidistância do processo. As 7 Maravilhas Doces de Portugal® contam com os seguintes membros no Conselho Científico:

ACPP – Associação Cozinheiros Profissionais de Portugal;

AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal;

APN – Associação Portuguesa de Nutrição;

FPCG – Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas;

Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural;

RIPTUR – Rede de Instituições Públicas do Ensino Superior com Cursos na área do Turismo;

Turismo de Portugal – Escolas.

O projeto conta ainda com o apoio institucional do Ministério da Agricultura.

Todo o processo de eleição é auditado pela empresa internacional de auditores PwC.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Sociedade e Ambiente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Mais e Melhores Regiões – Comunicação Autárquica