Autoridade Fitossanitária Nacional alerta para a “psila-africana-dos-citrinos”

Ex.º Senhor Presidente da Câmara Municipal de Alcobaça

Sr. Paulo Jorge Marques Inácio

Para os devidos efeitos, cumpre-nos informar V. Ex.ª. que na sequência de deteção de Trioza erytreae Del Guercio, vulgo psila-africana-dos-citrinos, na Região Administrativa de Lisboa e Vale do Tejo e confirmada a sua presença ou proximidade no Concelho a que V. Exª Preside, a Autoridade Fitossanitária Nacional, Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), estabeleceu um conjunto de medidas de proteção fitossanitárias para evitar a dispersão da referida praga pelo território nacional.

O inseto em causa, Trioza erytreae Del Guercio, faz parte da lista de pragas de quarentena da União Europeia, como referida no artigo 5.º do regulamento (EU) 2016/2031 e estabelecida no anexo II, parte B do REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) 2019/2072 DA COMISSÃO de 28 de novembro de 2019 que estabelece condições uniformes para a execução do Regulamento (UE) 2016/2031 do Parlamento Europeu e do Conselho no que se refere a medidas de proteção contra as pragas dos vegetais.

Tendo em conta a biologia do inseto, estabelece-se como indispensável a especial atenção que neste âmbito, deve ser dada a exemplares do género Citrus, plantas usualmente conhecidas por citrinos, nas quais se incluem as laranjeiras, limoeiros e afins, mas também a outras plantas hospedeiras do inseto, incluindo vegetais de Choisya Kunth, Fortunella Swingle, Poncirus Raf. e os seus híbridos, Casimiroa La Llave, Clausena Burm f., Murraya J. Koenig ex L., Vepris Comm., Zanthoxylum L., com exceção de frutos e sementes.

Nesta conformidade, foi emitido o edital em anexo, no qual se faz referência às áreas diretamente afetadas pelo inseto e quais as zonas em que terão que ser tomadas ações de combate específicas e medidas excecionais de controlo/vigilância, nomeadamente no que respeita às freguesias abrangidas.

No sentido de evitar a dispersão desta praga, haverá necessidade de conjugar os esforços de todos os intervenientes na gestão e acompanhamento dos espaços verdes e das demais áreas afetadas.

Assim, contamos com o apoio das Câmaras Municipais, quer no sentido de, nas áreas sob a sua responsabilidade, promover as medidas em vigor, quer para divulgar a informação que se encontra em anexo pelos canais habituais de comunicação às Juntas de Freguesia, bem como outros expedientes tidos por convenientes.

De extrema importância, permitimo-nos aqui chamar a atenção do referido no ponto 5 do artigo 6º da Portaria n.º 142/2020de 17 de junho, igualmente em anexo, na qual se informa que é proibida a comercialização, na zona demarcada, em feiras e mercados dos vegetais referenciados, quer sejam plantas de viveiro ou partes de plantas, incluindo porta-enxertos, ou plantas envasadas.

Pretende-se igualmente divulgar e sensibilizar a população em geral e, em especial, os intervenientes na área de jardinagem, nomeadamente, profissionais de empresas de jardinagem.

Solicitamos também que caso tenham conhecimento da presença desta praga e/ou se observem sintomas suspeitos em plantas de citrinos e demais hospedeiros fora das zonas infestadas, procedam de forma a contatar imediatamente a Direção Regional de Agricultura de Lisboa e Vale do Tejo para o endereço de correio eletrónico, prospeccao@draplvt.gov.pt

Para mais informações deve consultar a página eletrónica da DGAV em:

e da DRAPLVT em:

http://www.draplvt.mamaot.pt/alimentacao/Prospecao-pragas-doencas/Pages/Prospecao-pragas-doencas.aspx .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

Copyright©Cister.fm