Página Inicial Notícias Política Secretário de Estado das Autarquias Locais assina protocolo de financiamento em Salir de Matos

Secretário de Estado das Autarquias Locais assina protocolo de financiamento em Salir de Matos

Obra vai permitir construir centro de catequese com 10 salas

 

O secretário de estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, esteve esta manhã na freguesia de Salir de Matos para celebrar a assinatura do protocolo de financiamento para a conclusão da obra de reconstrução do antigo Salão Paroquial e que integrará o conjunto do actual Centro Pastoral daquela localidade.

 

Este financiamento vai ser dado ao abrigo do “Programa Equipamentos”, que se destina precisamente à comparticipação de obras de construção, reconstrução, ampliação, alteração ou conservação de equipamentos urbanos de utilização colectiva, incluindo equipamentos religiosos, como é este caso.

 

A obra em causa vai permitir construir um centro de catequese com dez salas, numa freguesia onde uma centena de crianças frequenta aquela actividade ligada à igreja. O equipamento vai custar perto de 100 mil euros e será financiado pelo governo em 50 por cento. A Câmara Municipal entrará com 25 por cento do valor restante, e o que falta tem sido angariado pela comunidade da freguesia, francamente empenhada neste objectivo, desdobrando-se em iniciativas para obter a receita necessária.

A conhecida festa de Santo Antão, com as tradicionais chouriças, e a semanal venda de pão caseiro, ao Domingo, são disso os melhores exemplos!

Na assinatura deste protocolo, que decorreu no pavilhão do Centro Pastoral, estiverem presentes, além do secretário de estado das Autarquias Locais, o Presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, Tinta Ferreira, a Directora Geral da DGAL, o representante da CCDRC, o Presidente da Junta de Freguesia Rui Jacinto e o Padre Filipe Sousa, cuja acção mobilizadora neste processo foi sublinhada por todos os presentes.

Todavia o pároco fez questão de sublinhar que esta obra “só é possível devido ao trabalho de todos, desde a população, junta, câmara, e agora o governo”.

 

Tinta Ferreira, edil caldense, diz-se “surpreendido pela positiva”. O autarca tinha conhecimento deste projecto já há cerca de 10 anos mas nem sempre esteve optimista quanto à eventualidade de arranjar a verba necessária. Á determinação da população juntou-se agora a possibilidade deste Programa “financiar estas pequenas obras mas de enorme importância para as comunidades” e o desfecho não podia ser melhor.

 

Mas como esta é a segunda obra que o Programa apoia no concelho no período de dois anos – a primeira foi nos Rostos, Landal – o presidente do Município caldense fez questão de “reconhecer a importância que a tutela tem dado aos nossos projectos e candidaturas”.

 

Segundo Carlos André, “o governo está muito consciente da importância destas casas e do seu significado para a coesão das pessoas e fixação no território”, sendo que este documento hoje assinado é sobretudo “uma conjugação de vontades”.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Câmara reduz dívida e aumenta disponibilidade financeira

31 Out. Disponibilidade Financeira (depósitos/caixa) Dívida Total 2017 4 736 724,44 € 4 76…