Página Inicial Notícias Política Opinião de Octávio Serrano – Descriminação e perseguição politica

Opinião de Octávio Serrano – Descriminação e perseguição politica

Olá ouvinte! Uma pergunta! Já se terá questionado, da razão pela qual, determinadas estradas, de determinadas zonas, apesar de esburacadas e de serem muito utilizadas, ficarem literalmente esquecidas pelos poderes locais, por vezes, durante muitos anos?  E sobre as razões, pelas quais, estradas de zonas adjacentes pertencentes ao mesmo Município, estarem permanentemente impecáveis, apesar de muito utilizadas? Pois! As segundas são premiadas com assiduidade, com novos tapetes de alcatrão; as primeiras não!
Mas constata-se! Todos os munícipes pagam pontualmente o IMI; não existirá pois,  discricionaridade na cobrança de impostos; mas afinal existirá diferença, na hora de os utilizar ao serviço das populações; zonas populacionais são privilegiadas umas em relação a outras; e muitas das vezes, tal terá a ver com os mapas eleitorais; se essa zona descriminada, tem a fama e o proveito, de votar na oposição aos poderes instalados! E dai surge o revanchismo, da parte dos poderes políticos; preconceituosamente, dividem o espaço territorial onde reinam, entre os que os apoiam e os outros…
Aos políticos que assumem estas práticas, não tenho dúvidas de os acusar de serem preconceituosos; para eles, não verdadeiro serviço publico; há uma tribo, que os elegeu, que necessita de ser servida e premiada; e existem os outros! Aqueles que devem ser castigados e olvidados!
Agora suponha-se que ao preconceito, se soma ódio e ambição política autocrática; e que a conquista ou manutenção do poder político, se encontram associados, à alienação e radicalização de um grupo populacional, contra outro grupo; que ambições e projectos, de políticos preconceituosos e sem escrúpulos, os incentivam a radicalizar as posições da sociedade que dominam ou querem dominar, contra determinado grupo social minoritário, capitalizando descontentamentos, desse modo em seu proveito!
Poderá ser um sector populacional com uma cultura diferente; podem ser emigrantes; podem ser grupos profissionais reivindicativos; podem ser populações ou pessoas mais esclarecidas, que ponham em causa predominâncias politicas e culturais; até podem ser pessoas com fé religiosa diversa! Quaisquer grupo, que se constitua como minoria incómoda, pode a toda a altura, servir de objecto descriminado e de algum modo perseguido!
E eles sabem como é que estas coisas se fazem! Uma vez, que um grupo seja designado com passível de perseguição, instala-se uma campanha discriminatória e persecutória; utilizam todos os meios para o efeito; na verdade, do que se trata, é o de unir e alienar, se possível a maioria da população, contra o grupo em causa; a perseguição dessa minoria, passa a constituir-se como um meio de agregar pessoas em torno de uma ambição política determinada; não se trata de julgar com justiça e razoabilidade o comportamento desse grupo minoritário; trata-se de utilizar a antítese social existente ou fabricada, para congregar através do ódio e preconceito, o máximo de pessoas em torno de um projecto que nem terá nada a ver, com o grupo perseguido;  o objectivo, é que desse modo as pessoas comuns, se identifiquem melhor com o projecto político daqueles, que incentivam a campanha!
Calunia e desinformação; mentira e insinuação; racismo e xenofobia; empolamento e descriminação; perseguição e ódio; tudo se mistura num caldo, que fermenta e aliena! Para obter uma base política, que sirva o interesse de quem o promove; uma qualquer figura, de fácil e demagoga palavra; que bate e rebate, nos mesmos pontos; de modo a que, os seus seguidores os assimilem, como verdade indiscutível; num processo, que não leva em conta os interesses globais da sociedade; mas apenas os de alguns; os daqueles, que por motivos de privilégio e interesses económico necessitam de garantir, ad eternum, a imutabilidade do seu poder fático!
E uma sociedade democrática e progressista, necessita responder a estes processos fascizantes; e o melhor método para o conseguir, estará na mão dos políticos responsáveis; governarem com sabedoria e no interesse geral; combaterem a corrupção; evitarem as benesses descaradas, leoninamente oferecidas a correlegionários políticos; e não admitirem descriminações, sejam quais forem, sejam positivas como negativas!
Um bem hajam e uma boa semana!

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por RuiCustodio
Carregar mais em Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Município de Porto de Mós isenta esplanadas, transportes escolares e entradas no Castelo

No decorrer da última reunião de Câmara, foi aprovado, no âmbito das medidas de apoio às e…