Página Inicial Notícias Política Opinião de Octávio Serrano – A lista dos partidos é grande mas não fazem a diferença

Opinião de Octávio Serrano – A lista dos partidos é grande mas não fazem a diferença

Concorreram às recentes eleições legislativas de 6 de Outubro, 21 forças politicas; realmente começa a tornar-se problemático, escolher-se a sigla do partido preferido em lista tão extensa; mas não posso deixar de afirmar que é louvável , tão profícuo interesse em ser “oferta”, para que o povo eleitor escolha de sua vontade. Pois, com tanto candidato, poder-se-á afirmar, que o povo português, tem muito por onde escolher! Ou não terá?

O problema será mesmo esse! É que quantidade, não é sinónimo de qualidade; nomeadamente quando se trata de escolher pessoas que sirvam o eleitor; pois o nosso sistema eleitoral, não elege pessoas; elege siglas;  e a representar as siglas, aparece normalmente quem tem mais influência dentro das maquinas partidárias; não quem, possui mais competência ou probidade.

O outro problema, é que tamanha quantidade de partidos concorrentes, não é sinónimo de grande diversidade; pois dentro do espectro cristalizado da confrontação direita-esquerda, é raro revelar-se algo que saia da normalização instítuida; coloque-se de fora, do que afirmo, o PAN, a titulo de excepção;  mais raro ainda será, o assumir da defesa de quaisquer ideias que ponham em causa de algum modo, o sistema partidocratico que possuímos; pois constata-se que todos vivem muito felizes com o que possuímos; apesar de alguns propalarem verborreia ideológica contra ele.

Por exemplo, nenhum destes partidos defende a alteração da relação do cidadão com o Estado; todos sem excepção, acham que numa democracia o cidadão se deve limitar a votar e a delegar em representantes; sendo estes a legitimar o governo escolhido; todos os partidos assumem, que o cidadão não pode nem deve, controlar e corrigir a actuação dos seus eleitos no período entre eleições; muito menos concordam, que o cidadão tenha a possibilidade de se pronunciar referendariamente sobre o que quer que seja. Para todos estes partidos,  o cidadão não é mais do que ovelha tosquiável, que alimenta um sistema económico e politico comandado por quem se apropriou dele; a única coisa que no fundo diferencia esta multidão de partidos, é que uns estão ligados de algum modo ao poder, e os outros gostariam de ir para lá!

E agora, coloco a seguinte questão; se uma qualquer destas organizações partidárias opositoras, ganhasse as eleições, seria muito diferente do que possuímos? Necessariamente que não, pois as condições de exercicio do poder continuariam ser análogas às existentes; essencialmente partidocraticas; logo o que motiva toda esta gente, que gostaria de aceder ao poder politico? Em primeiro lugar fome de protagonismo!  Quem já tem algum, desejará ainda mais; uma necessidade natural e humana de sobressair! Em segundo lugar, segurança económica! A subvenção do Estado aos partidos, atribui a cada partido por cada voto recebido 3,22 euros, desde que, elejam deputados ou tenham tido mais de cinquenta mil votos; claro que se o partido vier a fazer parte de um governo haverão outras benesses, com origem na posse do poder politico. O que de fora se observa, é que todos estes partidos que vão estando longe do poder e da Assembleia da Republica, apenas procuram atingir um determinado nível de “apoio”, que lhes garanta um lugar ao sol!

Logo não admirará a mediocridade da acção politica propalada; a busca promocional pela adesão de figuras publicas conhecidas; a acusação e maledicência continua, contra aqueles que ocupam o poder; a falta de propostas válidas que resolvam os problemas da nação; o assumir de posições orgulhosas de superioridade; a aposta em marketing politico personalizado; a falta de referências ideológicas; tudo se resumirá enfim, a um “Nós somos muito melhores do que vocês, que ai estão!”;  presunção e água benta cada um toma a que quer!

Afirmo! O real problema deste país é a democracia deficiente que possuímos; que permite regabofes, abusos de poder das classes dirigentes, politicas e económicas! Ponha-se lá quem quiserem, nada disto se irá alterar, se não se conseguir alterar a relação das populações com o poder politico!

Um bem hajam e uma boa semana!

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por RuiCustodio
Carregar mais em Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Opinião de Eduardo louro – Coisas que nos envergonham

https://youtu.be/yAQTr371v_0 Foi notícia na passada semana o caso do recém-nascido deitado…