Página Inicial Notícias Política Nazaré integra o movimento “Cidade dos Afetos”

Nazaré integra o movimento “Cidade dos Afetos”

O Município da Nazaré formalizou, no passado sábado, 18 de maio, a sua adesão à “Cidade dos Afetos”, uma iniciativa que pretende chamar os afetos como mecanismo fundamental de desenvolvimento para o dia-a-dia das comunidades.

O Movimento começou a desenhar-se no ano letivo 2009/10 no concelho do Barreiro, com a iniciativa “Dia dos afetos nas escolas”, integrada na área da saúde escolar.

Atualmente, treze municípios do país compõem esta rede dos afetos, dos quais seis pertencem ao ACES Oeste-Norte (faltam apenas 2 municípios desta Região).

“Já são muitos milhares de alunos que beneficiam deste projeto e várias dezenas de instituições envolvidas, o que nos deixa muito felizes”, disse Jorge Nunes, coordenador da Unidade de Saúde Pública do ACES oeste-norte, que recordou a missão de trabalho da sua equipa: “trabalhamos na área da promoção da saúde e os afetos são um dos eixos estratégicos dos nossos planos”.

Mário Durval, delegado da ARSLVT, realçou, por sua vez, “a importância de se colocarem os afetos à frente de todas as outras coisas, e isto envolve tudo o que fazemos no dia-a-dia”.

“O afeto é toda a relação que mantemos com as nossas raízes, com a pessoas, com o território. Estamos a falar de saúde. Todos ouvimos recomendações diariamente, mas damos pouca relevância a alguns estudos científicos, tais como os que acompanham gerações há décadas, acerca das razões da longevidade de algumas pessoas. O que é verdadeira importante para as pessoas viverem até mais tarde são as relações que têm: afetivas, familiares, no trabalho, na comunidade, relações sólidas, de apoio ao outro”.

Estudos efetuados revelam que maior afetividade entre as pessoas diminui a violência, a agressividade gratuita e os conflitos inúteis, promovendo maior urbanidade, coesão social e tolerância, valores essenciais a uma comunidade desenvolvida.

Por outro lado, o desenvolvimento de relações afetivas aos lugares, costumes e tradições locais permite a identificação das comunidades com as suas raízes e consequentemente a busca dum futuro assente nas potencialidades e recursos locais e numa perspetiva de desenvolvimento sustentável.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

CDU em acções de pré-campanha no Concelho de Alcobaça

Defender o meio ambiente, a agricultura e o desenvolvimento sustentável A CDU realizou ont…