Página Inicial Notícias Cultura e Música Projeto em curso no Museu José Malhoa reconhecido por conservadores e restauradores ibéricos.

Projeto em curso no Museu José Malhoa reconhecido por conservadores e restauradores ibéricos.

O projeto Delfim Maya: preservação, conservação, restauro e divulgação das obras em papel e esculturas de um artista esquecido”, de Leonor da Costa Pereira Loureiro foi o vencedor da iniciativa “Projeto TRAMA”, uma atividade desenvolvida pela Associação de Conservadores-restauradores de Espanha em colaboração da Associação Profissional de Conservadores-restauradores de Portugal, inserida nas comemorações do Ano Europeu do Património.

O TRAMA tem como principal objetivo fomentar projetos de valorização patrimonial partindo da perspetiva da conservação e restauro e, simultaneamente dar visibilidade à profissão. Compreende a realização de jornadas e de um concurso em Portugal e Espanha.

Leonor Loureiro é a coordenadora do Laboratório de Conservação e Restauro de Documentos Gráficos do Instituto Politécnico de Tomar. Enquanto vencedora do projeto TRAMA irá participar gratuitamente e com todas as despesas pagas, nas jornadas agendadas para os próximos dias 10 e 11 de fevereiro, no município de Uncastillo, província de Saragoça em Espanha. O prémio também garante a participação nas jornadas que terão lugar em Santarém (Portugal) no dia 10 de março.

 

O escultor Delfim Maya foi o primeiro escultor português a construir esculturas a partir de folhas industriais de metal e a pintar escultura. O Projeto de candidatura nasceu da necessidade de preservação da coleção pertencente à sua neta Maria José Maya, tendo como objetivo principal a preservação e a valorização patrimonial de um espólio único para as gerações vindouras. Neste contexto, e observando o valor da iniciativa na conservação e promoção do património, o Museu José Malhoa (Caldas da Rainha) e a Direção Regional de Cultura do Centro colaboram ativamente com o projeto, disponibilizando o acesso à escultura “Kátia”, em gesso, acervo do Museu José Malhoa, dado a necessidade de conservação da escultura original e passagem desta a bronze. A colaboração compreende diversas atividades que irão dar a conhecer a obra do escultor integrando-a no circuito de visita do Museu José Malhoa. Relembramos ainda a exposição temporária “Delfim Maya. Escultor de Vanguarda”, patente de 1 de abril a 4 de junho de 2017, integrada nas comemorações dos 130 anos do nascimento do autor, contemplando caricaturas e retratos, empréstimo da sua neta Maria José Maya, exibidas publicamente pela primeira vez, no Museu José Malhoa, após uma ação de conservação e restauro no Laboratório de Conservação e Restauro de Documentos Gráficos do Instituto Politécnico de Tomar, trabalho também integrado na candidatura ao projeto TRAMA.

.

.

.Cister fm

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Cultura e Música

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Concurso de Ideias, participe

A AIRO, em nome das Cutelarias de Santa Catarina e Benedita, leva a efeito o concurso de i…