Página Inicial Notícias Cultura e Música Exposição Centenário de Manuel Ferreira

Exposição Centenário de Manuel Ferreira

 

Completa-se no próximo dia 18 de Julho o centenário de Manuel Ferreira, escritor e investigador que, em muitos aspectos, foi pioneiro no estudo e divulgação das literaturas africanas de língua portuguesa.

O seu contacto com a identidade cultural das antigas colónias portuguesas teve início durante a Segunda Guerra, quando integrou o exército expedicionário destacado para Cabo Verde. Estacionado em S. Vicente, ali veio a casar com a jovem estudante  Orlanda Amarílis, futura professora e escritora.

Manuel Ferreira, que fora incorporado pela primeira vez em 1933, com dezasseis anos, veio a ter uma extensa carreira militar, de soldado ao posto de capitão, no decurso da qual, prestou serviço também na Índia e em Angola.

Tem uma obra de ficcionista, inspirado pelo movimento neo-realista, na qual o lugar de destaque vai para os livros de temática cabo-verdiana (Morna, 1948, Hora di Bai, 1962, Voz de Prisão, 1971). Em 1967 publicou A Aventura Crioula, um longo ensaio sobre a história da cultura cabo-verdiana.

Em 1974 foi convidado para leccionar a cadeira de “Literatura Africana de Expressão Portuguesa” na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, iniciando então uma intensa carreira académica, ao longo da qual formou e orientou estudantes de licenciatura, mestrado e doutoramento, investigou e fez conferencias pela Europa, África, Brasil e Estados Unidos.

Do seu trabalho de investigação resultaram trabalhos como Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa, 1977; 50 Poetas Africanos, 1989, No Reino de Caliban, 3 vols. 1972, 1976, 1986; uma revista, África, com catorze números editados entre 1978 e 1986.

Quando ingressou nas forças armadas tinha o curso comercial da Escola Técnica Domingos Sequeira de Leiria. No Liceu Gil Eanes, no Mindelo, concluiu o curso liceal, letras, a que acrescentou ciências, já em Goa, no Liceu Afonso de Albuquerque. Em 1952, licenciou-se em Farmácia, na Escola Médico-Cirúrgica de Goa. Em 1974 concluiu o curso de Ciências Sociais e Políticas no Instituto de Ciências Sociais e Políticas Ultramarinas.

 

Manuel Ferreira nas Caldas da Rainha

Foi a condição militar que trouxe Manuel Ferreira às Caldas da Rainha. Estava-se em 1954, o então sargento regressava, com a mulher e dois filhos. da Índia. Enquanto Orlanda, que se habilitara com o diploma do Magistério Primário em Goa, desenvolvia o professorado numa escola da cidade, Manuel Ferreira terminava e publicava um romance tendo como pano de fundo a indústria de serração de madeiras de Monte Real (A Casa dos Motas, 1956), escrevia um livro de crónicas e contos cabo-verdianos (Morabeza, 1957), participava nas tertúlias culturais e políticas e na vida associativa caldense. Em 1956/57 acompanhou a criação do Conjunto Cênico Caldense, tendo sido o seu primeiro presidente. Fez parte de um círculo de artistas plásticos, residentes ou atraídos a cidade, num momento de surto criativo dinamizado pela SECLA, e de que fizeram parte, entre outros, Ferreira da Silva, Hernâni Lopes, Júlio Pomar, Alice Jorge, Dias Coelho e Jorge Vieira. O pintor e ceramista Ferreira da Silva, de quem se tornou amigo, foi o ilustrador de A Casa dos Motas.

 

Comemorações do centenário de Manuel Ferreira

Manuel Ferreira nasceu em Gândara dos Olivais, Marrazes, Leiria, a 18 e Julho de 1917. Na sua terra natal a evocação do escritor começou em 28 de Março de 2017, com uma conferência do Professor Pires Laranjeira, docente da Universidade de Coimbra, antigo discípulo de Manuel Ferreira. A conferência teve lugar na Escola Secundária Afonso Lopes Vieira, localizada na Gândara dos Olivais. No passado dia 22, dia do Município, a Câmara de Leiria entregou a Hernâni Ferreira, filho do homenageado, a medalha de ouro da cidade, atribuída a seu pai a título póstumo.

A Câmara de Leiria prepara para 18 de Julho um sarau literário e a organização de uma exposição itinerante sobre a vida e obra de Manuel Ferreira a qual deverá circular pelas escolas do concelho. Nesse sarau participarão, entre outros os Professores Pires Laranjeira e João B. Serra

Para 22 de Julho, prepara-se uma exposição para as Caldas da Rainha, no Museu José Malhoa, sobre a vida e obra de Manuel Ferreira, organizada pelo Prof. João B. Serra. A exposição tem o título: Manuel Ferreira. Capitão de Longo Curso.

Nesse mesmo dia, após a a inauguração da exposição, decorrerá, também no Museu de José Malhoa, uma mesa redonda designada Manuel Ferreira, quem és?, com  a participação, além do organizador da exposição, dos professores Fátima Mendonça (Universidade de Mondlane, Maputo), Ana Paula Tavares (Faculdade de Letras de Lisboa) e Mário Tavares (Instituto Politécnico de Leiria).

A Exposição seguirá para Leiria em Setembro. Nessa altura pretende a Câmara de Leiria organizar ma conferencia internacional sobre a obra de Manuel Ferreira.

A 16 de Dezembro, no Centro Cultural de Belém, haverá uma sessão de evocação de Manuel Ferreira, com a presença do escritor cabo-verdiano Filinto Elísio e da escritora angolana Ana Paula Tavares e de Deolinda Barros, antiga aluna daquele professor que testemunhará essa experiência e lerá passagens da obra de ficção daquele autor.

Nessa altura deverá já estar disponível uma biografia de Manuel Ferreira, da autoria de João B. Serra, que será editada pela Rosa de Porcelana, uma editora cabo-verdiana.

.

.

.Cister fm

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Cultura e Música

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Lumen em Agosto

    LÚMEN – espetáculo promovido pela Câmara Municipal de Alcobaça e pela …