Página Inicial Notícias Cultura e Música Cistermúsica de regresso para levar música a outros municípios do Oeste durante o mês de setembro

Cistermúsica de regresso para levar música a outros municípios do Oeste durante o mês de setembro

Depois de uma edição histórica e de grande sucesso, o Festival regressa à estrada, a convite da Oestecim, com concertos da rota do Oeste em Peniche, Torres Vedras, Bombarral e Alenquer

O Festival de Música de Alcobaça, que em julho passado cumpriu a sua 27ª edição com um recorde de espetáculos e de espetadores, regressa em setembro com uma extensão a quatro municípios da região Oeste, Peniche, Torres Vedras, Bombarral e Alenquer.


Dando seguimento à programação artística de qualidade e diferenciadora que é a marca do Cistermúsica, e depois de ter apresentado, em julho, dois dos seus concertos nas Caldas da Rainha e em Peniche, o Festival programa agora mais quatro, a convite da Comunidade Intermunicipal do Oeste.

Para Rui Morais, diretor artístico do Festival “este convite à extensão temporal e geográfica do Cistermúsica compreende o reconhecimento de uma programação de excelência, descentralizada e acessível, desenhada também para o desenvolvimento turístico e cultural da região”. Esta Rota do Oeste surge, assim, com naturalidade, constituindo mais um passo na consolidação da posição do Festival no mapa dos circuitos culturais e contando com a qualidade artística que lhe é amplamente reconhecida.

Quatro propostas imperdíveis, em quatro municípios, até 28 de setembro

A Rota do Oeste contempla quatro distintos concertos em quatro municípios, refletindo também a diversidade da programação apresentada durante o festival, com propostas de concertos sinfónicos, um ensemble internacional de jazz e um recital de saxofone e acordeão.

O arranque desta digressão pelo Oeste deu-se no passado dia 2, em Peniche, com o concerto do trombonista norte-americano Robin Eubanks, nome que se apresentou ao lado de R’B, os igualmente trombonistas Rúben da Luz e Rui Bandeira, e MrSC, Sérgio Carolino, um dos maiores talentos da tuba a nível mundial.

Segue-se Torres Vedras, que acolheu no dia 6, a Orquestra Académica Filarmónica Portuguesa, que se apresentou com o Maestro Osvaldo Ferreira e a pianista russa Kristina Miller, apresentando uma nova obra da compositora Anne Victorino D’Almeida, o Concerto nº1 op.11 para piano e orquestra de Chopin e, por fim, o Pássaro de Fogo de Stravinsky.

No dia 14, a Banda Sinfónica de Alcobaça sobe, pela primeira vez, ao palco do Teatro Eduardo Brazão, no Bombarral, sob a direção do maestro Rui Carreira, com um programa composto por obras de Joaquim Luís Gomes, Gustav Holst, Joly Braga Santos e Dmitri Chostakovich.

Alenquer recebe o último concerto, que dia 28, pelas 17h30, na Casa Adega Santos Lima, junta o saxofone de Mário Marques ao acordeão de João Barradas, para um recital que vai “Do Barroco a Piazzolla” através de obras de Johann Sebastian Bach, Richard Galliano e Astor Piazzolla.

O Festival tem procurado, ao longo dos anos, “criar sinergias e projetos comuns de partilha de criações e de otimização de recursos artísticos e culturais”, e alargando o seu âmbito geográfico a territórios próximos e/ou com os quais tem afinidade, como os territórios cistercienses de norte a sul do país, nos quais marca presença com a Rota de Cister, bem como aos Sítios Património Mundial da UNESCO na região Centro (Alcobaça, Coimbra e Batalha), sem esquecer os municípios da região Centro (Porto de Mós, Marinha Grande e Leiria ) que, à semelhança de Alcobaça, também integram a Rede Cultura 2027 da Candidatura de Leiria a Capital da Cultura.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Cultura e Música

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Cartaz de Cinema – Filmes em exibição de 8 a 14 de Novembro

Cine Teatro de Alcobaça João D´Oliva Monteiro R. João de Oliva Monteiro 4, Alcobaça Reserv…