Página Inicial Notícias Cultura e Música AMARE: Museu do Vinho acolhe exposição inspirada em Pedro e Inês

AMARE: Museu do Vinho acolhe exposição inspirada em Pedro e Inês

O Museu do Vinho de Alcobaça vai acolher, na Adega dos Balseiros, a exposição AMARE da artista plástica Maria de Fátima Silva. A exposição é composta por uma séries de trabalhos inspirados na trágica, mas romântica, história de D. Pedro I e D. Inês de Castro em resultado “dum enlevar doce e sentimento poético do Amor em si, enquanto gerador da Vida e da procura incessante de significados na iconografia dos túmulos.” AMARE partilha a essência do espírito animador da vida de todos nós: Sentimento e Pensamento, Amor e Ideia.

 

A exposição estará patente entre 8 de julho e 26 de agosto, com entrada livre.

 

A programação cultural promovida pelo Museu do Vinho pretende manter este espaço sempre aberto aos artistas e à comunidade, vivo e dinâmico.

 

EXPOSIÇÃO DE PINTURA

AMARE

DE MARIA DE FÁTIMA SILVA

MUSEU DO VINHO DE ALCOBAÇA . ADEGA DOS BALSEIROS

 

DATA: 8 JULHO – 26 AGOSTO 2018

HORÁRIO: 3ª A DOMINGO DAS 10H00 ÀS 13H00 E DAS 14H00 ÀS 17H00

ENTRADA GRATUITA

 

[Excerto do Conceito]

AMARE significa amar, em latim. Fonte inspiradora da conduta humana, seja qual for o plano em que se desenvolva. Segundo Fernando Pessoa, o “mytho é o nada que é tudo”, permitindo uma conjuntura infindável de historias perdidas no tempo desse tempo sem tempo, de ecos primordiais. Nesta demanda de imagens e cores a história de eco secular constrói-se com elementos pictóricos inspirados e intuídos. Pensamentos de quem amou e quer ser amado pela eternidade. Sentimentos imponderáveis e únicos, forcas espirituais que no Mundo comandam o nosso terreno e humano mundo. Falo do Eterno Amor entre Dona Ignez de Castro e Dom Pedro I, parte integrante da Tradição Espiritual Portuguesa.

 

Sobre a autora:

Maria de Fátima Silva nasceu na Ericeira em 1970, é licenciada em Design pelo IADE e tem o curso de pintura da AR-CO. A sua primeira exposição colectiva foi em 1991 no Convento da Graça, em Torres Vedras, sendo a sua primeira exposição individual exibida um ano depois, na Junta de Turismo da Ericeira. A partir dessa altura, tem exposto as suas obras de forma regular por todo o país. No ano de 2014, ganhou duas Menções Honrosas no Estoril (“State of the Art” e Galeria Aberta) e o Prémio Especial de Inovação e Criatividade Correio da Manhã TV na IX Bienal da Vidigueira. Maria de Fátima Silva gosta de andar por Portugal à procura de monumentos megalíticos para os representar pictoricamente in loco.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Cultura e Música

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Nuno Alves lança “Rainha”

Esta  sexta-feira, Nuno Alves  lança de mais um tema do seu novo álbum, sendo o nome da mu…