Página Inicial Notícias Sociedade e Ambiente Defesa da Floresta Contra Incêndios – Ação de Fiscalização no concelho de Porto de Mós

Defesa da Floresta Contra Incêndios – Ação de Fiscalização no concelho de Porto de Mós

COMUNICADO DA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS – MANUTENÇÃO DAS FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTIVEL

A obrigatoriedade de manutenção das faixas de gestão de combustíveis constitui uma das medidas preventivas previstas no Decreto Lei nº 124/2006, de 28 de junho, alterado e republicado pelo Decreto-Lei nº 17/2009, de 14 de janeiro, com o objetivo de reduzir o número de incêndios florestais.

A prática mais comum da gestão de combustíveis consiste na limpeza dos terrenos, através do corte e remoção da biomassa vegetal neles existentes. Uma correta e oportuna gestão de combustíveis constitui um elemento essencial para a minimização do risco de incêndio.

A prevenção aos incêndios florestais deve ser praticada de forma atempada e inteligente.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) tem vindo a exercer um enorme esforço na realização de ações de sensibilização junto da população, com o intuito de promover e fomentar boas práticas agrícolas e acima de tudo transmitir uma mensagem de dever cívico na prevenção generalizada aos incêndios florestais, partindo da premissa que a floresta é de todos e que a todos cabe preservar e proteger.

Na sequência das ações realizadas pela GNR, constatou-se que muitos terrenos continuam a carecer de limpeza, de forma a salvaguardar a manutenção das faixas de gestão de combustíveis e assim contribuir para a redução do elevado número de incêndios florestais.

Face às situações de incumprimento constatadas, o Comando Territorial da GNR de Leiria, através do Serviço de Proteção da Natureza (SEPNA) e com o apoio do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), no dia 20 de ABRIL de 2017 irá realizar ações de fiscalização nas freguesias do concelho de Porto de Mós.

A falta de manutenção das faixas de gestão de combustíveis (limpeza dos terrenos) constitui infração do foro contraordenacional e os seus responsáveis incorrem em coimas de 140 € a 5.000€, no caso de pessoa singular, e de 800 € a 60.000€, para pessoas coletivas.

.

.

.Cister fm

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por jcaetano
Carregar mais em Sociedade e Ambiente

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Veja Também

Bombeiros de São Martinho do Porto, vencem passatempo “O vídeo do meu quartel de bombeiros num minuto”

Os Bombeiros de São Martinho do Porto, Lamego, Entre-os-Rios e Penela são os grandes vence…